Áreas de isolamento em hospitais requerem um uso intensivo de materiais descartáveis, principalmente durante o trânsito dos profissionais da saúde entre os ambientes isolados e não-isolados.

Embora a eliminação do uso destes materiais não seja uma opção, a diminuição da frequência de uso pode ser feita com a diminuição do trânsito dos profissionais. Tal objetivo pode ser alcançado com a automação da área isolada.

Neste artigo analisaremos os benefícios que a automação de áreas isoladas pode trazer.

AS ÁREAS DE ISOLAMENTO E SUAS EXIGÊNCIAS DE SEGURANÇA MÉDICA

Um dos riscos de qualquer hospital é a transmissão de doenças contagiosas a partir de pacientes infectados para pacientes suscetíveis, ou profissionais de saúde. Normalmente, este risco é contornado praticando-se medidas básicas de higienização das ferramentas e ambientes do hospital.

Certas doenças, porém, são tão contagiosas que requerem o isolamento do paciente infectado em uma área restrita e controlada.

O tratamento de um paciente isolado requer diversas medidas de contenção do ambiente isolado e de prevenção do escape dos agentes contagiosos para fora do ambiente. Entre tais medidas, pode-se mencionar:

  • Uso de máscara e óculos por qualquer pessoa que entre o ambiente isolado;
  • Uso de luvas e avental por parte dos profissionais de saúde;
  • Lavagem das mãos;
  • Uso de pressão negativa no quarto em relação à área adjacente;
  • Filtragem de ar do quarto.

O PROBLEMA DO ALTO CONSUMO DE EQUIPAMENTOS DESCARTÁVEIS

Considerando a natureza contagiosa de tais ambientes, muitos equipamentos de proteção utilizados pelos profissionais da saúde são descartados após o uso.

Por esta necessidade ser inevitável, é comum haver um alto consumo de materiais em hospitais com períodos de uso intensivo das áreas de isolamento. Tal consumo se concentra nos momentos de trânsito de profissionais entre as áreas isoladas e as não-isoladas do hospital.

Porém, hoje em dia a palavra de ordem em qualquer contexto da sociedade é a sustentabilidade ambiental, minimizando o descarte de materiais. Porém, como um hospital poderia responder a este desafio?

A diminuição do uso de equipamentos de proteção não é uma opção, pois disso depende tanto a saúde das pessoas que ali estiverem quanto a prevenção da transmissão de doenças para fora do hospital. Resta então minimizar o trânsito dos profissionais entre a área isolada e os outros ambientes do hospital, diminuindo assim a frequência com que os descartáveis serão utilizados.

Uma das formas de se fazer isto é facilitando a comunicação e o acesso a informações a partir de dentro da área isolada, e diminuir o uso de materiais que possam entrar e sair da área, como prontuários de papel e outras fichas de uso médico. Para atingir tal objetivo, podem ser utilizadas soluções de automação do hospital, que serão comentadas a seguir.

Case Hospital Paulistano

Conheça o case do Hospital Paulistano com as soluções de Automação e Controle Quebeck

AUTOMATIZANDO ÁREAS ISOLADAS PARA DIMINUIR O CONSUMO DE DESCARTÁVEIS

A principal forma de minimizar o trânsito de profissionais entre áreas isoladas e não-isoladas é eliminar a necessidade de movimentação para coleta de informações. Para tanto, pode-se implantar as seguintes soluções nas áreas em questão:

  • Equipamentos de comunicação imediata, como walkie-talkies e telefones;
  • Terminais de computador com acesso à rede e ao software de gerenciamento interno do hospital;
  • Sinal wi-fi para acesso à rede por parte de dispositivos móveis;
  • Prontuários Eletrônicos do Paciente (PEPs).

Através da informatização de um ambiente isolado, e do uso de equipamentos como os Prontuários Eletrônicos, é possível checar diversas informações e solicitar a presença de profissionais da saúde sem sair do local. Abaixo estão listados diversos benefícios:

  • Checar os dados do paciente e do seu tratamento;
  • Agendar e visualizar medicamentos e tratamentos específicos a serem aplicados, junto com o respectivo horário;
  • Checar as visitas agendadas;
  • Realizar avisos e chamadas de profissionais da saúde para a área isolada;

Há o benefício adicional de se eliminar o uso (e consequentemente o trânsito) de papéis e outros formulários/fichas médicas, utilizando ao invés disso mídias eletrônicas como os Prontuários Eletrônicos. Com isto elimina-se tanto o consumo de mais materiais descartáveis (papel) quanto mais um possível veículo de transmissão de agentes contagiosos.

Tais soluções certamente contribuirão para uma maior economia no hospital e para um tratamento mais seguro dos pacientes em isolamento.

CONCLUSÃO

Neste artigo foi descrita a forma de se minimizar o consumo de equipamentos descartáveis em uma área de isolamento, automatizando a comunicação e a coleta de informações.

Para mais detalhes a respeito dos benefícios de uma rede wi-fi em um hospital, acesse em breve o artigo:  Como a utilização de uma estrutura administrativa digital via rede wi-fi pode garantir a confiança dos atendimentos médicos. Mais detalhes sobre o Prontuário Eletrônico do Paciente também podem ser encontradas no artigo Aumentando a confiabilidade de um tratamento médico através do uso de prontuários eletrônicos

Até a próxima!

Saiba mais sobre soluções para saúde da Quebeck automoção e controle AQUI.

About Quebeck

A Quebeck é uma consolidada empresa de soluções em automação de processos e controle de dados, atuante desde 1997 em todo território nacional. Traduzimos tecnologia em negócios rentáveis através da consultoria em automação de processos e controle de dados. ;)